As equipes de resgate que trabalham no Haiti já concluíram as buscas por sobreviventes em 60% das áreas afetadas pelo forte terremoto da última terça-feira, tanto na capital, Porto Príncipe, como em localidades vizinhas. Ao todo, 70 pessoas foram tiradas com vida de entre os escombros dos prédios derrubados pelo tremor.


"É um número recorde de pessoas achadas vivas após um terremoto", disse à Agência Efe Elizabeth Byrs, porta-voz do Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA, na sigla em inglês).

EFE
Haitiana ficou 80 horas presas nos escombros

Mulher ficou 80 horas presa, mas foi resgatada com vida. Leia mais

Segundo a funcionária, os "especialistas que trabalham sobre o terreno ainda não perderam a esperança de encontrar mais sobreviventes".

Ajuda humanitária

A ajuda humanitária às vítimas do terremoto no Haiti começou a chegar à população da capital, Porto Príncipe, neste domingo. No entanto, grande parte dos flagelados haitianos continua à espera de mantimentos básicos e medicamentos. A organização não-governamental Oxfam afirmou ter conseguido distribuir água para refugiados de um campo improvisado.

No entanto, o repórter da BBC na capital haitiana Nick Davis afirma que - embora pela primeira vez esteja sendo possível perceber um movimento - os beneficiados pela ajuda humanitária ainda são poucos, em comparação com o grande número de necessitados.

Nas próximas horas, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, deve desembarcar no Haiti para supervisionar pessoalmente os trabalhos de socorro e resgate no país destruído.

Com EFE e BBC

Veja também:

Leia mais sobre terremoto

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.