Equador restringe voos ao México por temores de gripe

QUITO (Reuters) - O Equador restringiu os voos charter originados e destinados ao México, assim como o livre trânsito de passageiros provenientes do país latino, como medida de precaução contra a gripe suína, informou o governo nesta quarta-feira. Até o momento não foram detectados casos de gripe suína no Equador, mas o presidente, Rafael Correa, decidiu declarar emergência no país andino para prevenir eventuais casos da doença, que já causou mortes no México e nos Estados Unidos e se propagou por vários países do mundo.

Reuters |

"Parte das medidas é que a partir de hoje se restringe os voos charter do México e ao México", disse em comunicado a ministra de Turismo, Verónica Sión.

A entrada de passageiros vindos do México através de voos comerciais também será restrita durante 30 dias, com exceção de equatorianos, que poderão entrar sob supervisão médica no voo e na aterrissagem.

O anúncio de emergência se soma às ações adotadas na vésperas de proibir as importações de suínos e derivados do México e dos Estados Unidos, dentro do cerco criado pela nação para evitar algum tipo de contágio.

(Reportagem de José Llangarí e Alonso Soto)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG