O Equador vai reforçar sua fronteira com a Colômbia com 12 aviões de combate Super Tucano de fabricação brasileira para evitar incursões militares como a de 1 de março, que derivou na ruptura de relações entre ambos os governos, disse neste sábado o presidente Rafael Correa.

Segundo o chefe de governo, o Equador comprará do Brasil 24 desses aviões de ataque, a metade dos quais para proteger a zona limítrofe, e o restante para treinamento.

vel/elg/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.