Equador pede renegociação de contrato para novo aeroporto

QUITO (Reuters) - O Equador quer renegociar o contrato assinado com um consórcio internacional para a construção de um novo aeroporto na capital, devido a supostas falhas no acordo, disse nesta quarta-feira o novo prefeito de Quito. O consórcio Quiport S.A., integrado por empresas do Canadá, dos Estados Unidos e do Brasil, obteve em 2001 a concessão para a construção de um terminal em uma área de cerca de 1.500 hectares nas cercanias de Quito em um investimento de cerca de 590 milhões de dólares.

Reuters |

Mas o prefeito da capital equatoriana, Augusto Barrera, encontrou supostas falhas no contrato e pediu uma renegociação para alterar alguns temas relacionados à segurança e o financiamento da obra.

"Peço uma renegociação que tenha um começo e um fim... Peço três âmbitos globais de renegociação", disse Barrera, em entrevista a um canal local.

"Podemos ter um acordo mais favorável para a cidade ou mais barato, sem alterar a dimensão do projeto", acrescentou Barrera, um aliado do presidente esquerdista Rafael Correa.

A proposta de renegociação foi proposta ao consórcio estrangeiro, que recorreu a empréstimos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento e ao Export-Import Bank, dos Estados Unidos, entre outros, para financiar o projeto.

Um representante da Quiport admitiu à Reuters que o grupo recebeu a proposta, "mas todas estas decisões têm que passar necessariamente pelos diretórios das diferentes empresas que formam a Quiport", acrescentou.

"Estamos em processo de consultas", afirmou.

O objetivo do município de Quito é oficializar os procedimentos de segurança no aeroporto e contar com a autorização do regulador aeronáutico local e internacional para que possa operar com normalidade.

Segundo Barrera, "o procedimento não está claro".

Além disso, busca definir o modelo de concessão para identificar claramente os representantes das partes, devido a existência de "um acordo" de envolvidos no plano.

"Ter claro quem é a autoridade pública e ter muito claras as obrigações do concessionário", acrescentou, ao sinalizar que também buscará uma revisão do financiamento da obra.

A construção do novo aeroporto de Quito é um projeto-chave para a cidade, pois o atual terminal encontra-se no coração da cidade, o que já provocou uma série de acidentes.

O projeto recebeu vários outros questionamentos, mas Barrera assegurou que continuará a ser executado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG