Entenda a crise diplomática entre Equador e Colômbia http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/06/13/farc_planejaram_sequestrar_filhos_de_uribe_e_de_altos_funcionarios_em_2007_1359007.htmlFarc planejaram seqüestrar os filhos de Uribe em 2007" / Entenda a crise diplomática entre Equador e Colômbia http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/06/13/farc_planejaram_sequestrar_filhos_de_uribe_e_de_altos_funcionarios_em_2007_1359007.htmlFarc planejaram seqüestrar os filhos de Uribe em 2007" /

Equador não tem interesse em restabelecer relações com a Colômbia

QUITO - O presidente do Equador, Rafael Correa, afirmou hoje que seu governo não tem nenhum interesse em restabelecer as relações com a Colômbia, embora tenha retomado os vínculos na área de negócios. http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/03/13/entenda_a_crise_diplomatica_entre_equador_e_colombia_1227715.htmlEntenda a crise diplomática entre Equador e Colômbia http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/06/13/farc_planejaram_sequestrar_filhos_de_uribe_e_de_altos_funcionarios_em_2007_1359007.htmlFarc planejaram seqüestrar os filhos de Uribe em 2007

Ansa |

"Não temos interesse em restabelecer relações, fomos agredidos, estamos no direito de impor condições", disse Correa em uma entrevista ao canal Ecuavisa, em referência ao ataque militar colombiano de 1º de março.

O presidente disse que para que se restabeleçam por completo as relações, o governo de seu par colombiano, Álvaro Uribe, deve "acabar com a campanha contra o governo equatoriano nos relacionando com as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia)".

Além disso, qualificou como "tonto" o ministro colombiano da Defesa, Juan Manuel Santos, que havia lhe sugerido não falar "alegremente" sobre uma eventual renúncia.

"Eu disse que se a OEA (Organização dos Estados Americanos) encontrar qualquer relação com as Farc e meu governo, renunciarei, e vem esse tonto e diz que o presidente Correa não deve colocar seu cargo à disposição tão alegremente porque poderá ter surpresas", comenta Correa.

Correa insistiu que seu governo continuará apoiando a troca humanitária de reféns das Farc e expressou que o território equatoriano está disponível para esse fim.

O presidente equatoriano rompeu relações diplomáticas com a Colômbia após o ataque de 1º de março, no qual militares colombianos destruíram um acampamento das Farc e mataram 26 pessoas, entre elas o então número dois da guerrilha, Raúl Reyes.

Leia mais sobre: Equador - Colômbia

    Leia tudo sobre: colômbiaequador

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG