Equador mostra otimismo sobre normalizar relações com Brasil

QUITO - O chanceler do Equador, Fander Falconí, disse que existem todas as condições para normalizar as relações com o Brasil e superar a tensão diplomática surgida entre os dois países devido ao caso Odebrecht.

EFE |

"Acredito que existem todas as condições para conseguir uma grande viabilidade, para um acordo que normalize as relações entre os dois países", afirmou Falconí em coletiva de imprensa, após lembrar que os presidentes de Brasil e Equador conversaram sobre o assunto na recente cúpula presidencial na Bahia.

O chanceler equatoriano disse que no encontro bilateral do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o chefe de Estado equatoriano, Rafael Correa, durante a cúpula latino-americana, foram dadas todas as condições para normalizar as relações bilaterais.

Falconí explicou que Correa, na reunião com Lula, "foi bastante claro ao pedir o retorno do embaixador para terminar de normalizar completamente as relações" que, segundo o chanceler, "são absolutamente fraternas".

A reunião foi "bastante amena, bastante cordial" e nela se ratificaram "os laços de visões conjuntas dos dois países, onde há dois governos progressistas identificados com a integração latino-americana", declarou Falconí.

O chanceler equatoriano afirmou que "a idéia da reunião foi encapsular os problemas estritamente" ligados à represa de San Francisco e "manter todos os laços de unidade que vinculam historicamente os dois países".

Mesmo assim, Falconí destacou que o presidente Correa deixou "bastante claro que se seguirá com os mecanismos de arbitragem que país abriu" e assinalou que "não será interrompido o desembolso do crédito do BNDES, que tem que ser feito em 27 de dezembro".


Leia mais sobre Equador

    Leia tudo sobre: equador

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG