Equador expulsa embaixadora americana por documento do Wikileaks

Heather Hodges escreveu em telegrama diplomático que líder equatoriano nomeou chefe da polícia sabendo que ele era corrupto

iG São Paulo |

O Equador anunciou nesta terça-feira a expulsão da embaixadora americana no país por causa de um telegrama diplomático de 2009 divulgado pelo site WikiLeaks e publicado pelo jornal espanhol "El País". No documento, a embaixadora Heather Hodges diz que o presidente equatoriano Rafael Correa nomeou Jaime Hurtado Vaca como chefe de polícia apesar de saber que ele era corrupto.

Na tarde de segunda-feira, Heather foi chamada para dar explicações sobre o caso ao ministro equatoriano das Relações Exteriores, Ricardo Patiño. Durante a conversa, ele teria dito que Correa estava "absolutamente indignado" com a acusação.

Depois, em coletiva de imprensa nesta terça-feira, Patiño disse que a embaixadora não apresentou explicações suficientes, anunciou que ela havia sido declarada "persona non grata" e pediu que ela deixe o país o mais rápido possível. "Esperamos que a decisão não afete as relações cordiais entre os dois países", acrescentou o ministro.

O Departamento de Estado americano considerou a expulsão "injustificável" e lamentou "profundamente" a decisão. "A embaixadora Hodges é uma de nossas diplomatas mais experientes e talentosas", afirmou o governo dos EUA, em comunicado. "Vamos examinar as opções para responder a essa ação do Equador."

No documento diplomático, Heather recomenda que os EUA confisquem o visto americano do chefe da polícia, dizendo que ele usava o cargo para "extorquir dinheiro, facilitar tráfico humano e obstruir investigações sobre colegas corruptos". Ela também escreve que a corrupção na Polícia Nacional do Equador é "conhecida" e "mais pronunciada nos altos níveis de poder".

Heather é a terceira diplomata americana expulsa pelo governo equatoriano desde que Correa chegou ao poder, em 2007. Outros dois países latino-americanos estão atualmente sem embaixadores americanos: Venezuela e Bolívia, cujos líderes, Hugo Chávez e Evo Morales, são aliados do líder do Equador.

Com AP e Ansa

    Leia tudo sobre: equadorwikileaksdocumentos diplomáticoseua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG