Equador exige à Colômbia presença militar permanente em fronteira

Quito, 29 out (EFE).- O Governo do Equador exigiu hoje à Colômbia uma presença policial e militar permanente na zona fronteiriça, e se declarou ofendido com os relatórios de Bogotá sobre supostas bases de grupos armados ilegais em solo equatoriano.

EFE |

As informações foram divulgadas pelo ministro coordenador de Segurança Externa e Interna, Gustavo Larrea, ao responder a um relatório que a Colômbia apresentou no dia 3 de outubro à Organização dos Estados Americanos (OEA), no qual informava de supostas bases guerrilheiras em território equatoriano.

Larrea exigiu a Bogotá que destrua as centenas de bases de grupos ilegais em seu território.

"Nós nos sentimos, como nação, ofendidos que a Colômbia tente demonstrar à comunidade internacional algo indemonstrável", afirmou Larrea, em referência ao relatório enviado por Bogotá à OEA.

O alto funcionário formulou as declarações em entrevista coletiva junto a seus colegas de Defesa, Javier Ponce; de Relações Exteriores, María Isabel Salvador; e de Governo (Interior), Fernando Bustamante.

No relatório, a Colômbia aponta 63 pontos - com suas coordenadas geográficas em território equatoriano - onde supostamente se encontravam acampamentos de grupos armados colombianos.

As autoridades equatorianas negaram essa versão, pois indicaram que o Exército nacional há "varreu" as zonas descritas e não encontrou as supostas bases.

Larrea pediu que a comunidade internacional entenda como "o Equador sofre com os problemas derivados do conflito armado interno (colombiano) e as ações de grupos criminosos e do narcotráfico" que existem nesse país.

"O Equador exige ao Governo colombiano, em virtude do princípio de responsabilidade internacional dos Estados, que exerça controle militar e policial efetivo e permanente em todas as áreas da fronteira com nosso país", concluiu. EFE fa/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG