Equador espera que Colômbia participe de reunião de Defesa da Unasul em Quito

Quito, 7 set (EFE).- O ministro equatoriano de Defesa, Javier Ponce, que preside o Conselho Sul-americano de Defesa, expressou hoje sua esperança que Colômbia participe da próxima reunião do organismo, em Quito, 15 de setembro, para falar sobre o uso das bases colombianas por militares americanos.

EFE |

Ponce, em declarações aos site "Ecuadorinmediato", disse que o Equador fará "todos os esforços necessários para que se concretize a presença da Colômbia" na reunião agendada na Cúpula da União de Nações Sul-americanas (Unasul), no último dia 28 de agosto em Bariloche, Argentina.

O ministro explicou que a reunião acontece na capital equatoriana porque o Equador preside o Conselho Sul-americano de Defesa e lembrou que a reunião de Bariloche foi um caso excepcional, porque a Colômbia tinha se negado a ir a Quito, pelo rompimento das relações diplomáticas entre os dois países.

"Não vamos aceitar sempre o fato de que um presidente (o colombiano Álvaro Uribe) diga: 'no Equador não me reúno'. Seria saudável que o ministro da Defesa colombiano (Gabriel Silva) venha à próxima reunião, convocada para na terça-feira 15 de setembro", assinalou Ponce.

Destacou que 60% a 70% dos ministros da Defesa da região confirmaram sua participação na reunião de Quito e disse: "até onde eu sei, Colômbia disse que está organizando sua missão".

Ponce reconheceu que "não é fácil" o tema que será tratado em Quito, assim como formular um "código de confiança mútua", como se discutiu na Cúpula de Bariloche.

Por isso, considerou que em Quito sairão resoluções que permitam estabelecer prazos, objetivos e a formação de grupos de trabalho.

Por outra parte, Ponce disse que seu país não conta com o texto do convênio militar entre Colômbia e Estados Unidos e sustentou que supõe que o resto de países sul-americanos também não.

"Necessitamos garantias que essa presença militar americana não só não vai a significar uma agressão a um país vizinho mas também não uma agressão virtual e também não uma vigilância da região desde essas bases militares", acrescentou Ponce.

Por isso, destacou a importância da presença da delegação colombiana na reunião de Quito, já que, a seu critério, "não é saudável para a Unasul nem para o Conselho Sul-americano de Defesa um isolamento da Colômbia". EFE fa/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG