Equador envia tropas à fronteira para ajudar em resgate de colombianos

Bogotá, 21 set (EFE).- O ministro de Segurança do Equador, Gustavo Larrea, comunicou hoje que tropas do Exército partiram para a fronteira com a Colômbia para colaborar no resgate dos quatro funcionários da Promotoria colombiana que foram seqüestrados pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) nas proximidades.

EFE |

Larrea disse à "Rádio Caracol" que, assim que as autoridades colombianas comunicaram a situação, teve início a ação na região próxima a Teteyé, onde o grupo foi seqüestrado.

"Mobilizamos tropas do Exército e mobilizamos também a nossa Polícia para colaborar no possível resgate dos seqüestrados", disse.

Versões da imprensa afirmaram que os quatro funcionários da unidade de direitos humanos da Promotoria já foram libertados, atravessaram a fronteira e se dirigem para a localidade colombiana de Puerto Asís, o que, no entanto, ainda não foi confirmado pelas autoridades.

O presidente colombiano, Álvaro Uribe, assegurou este domingo que o seqüestro dos quatro funcionários foi cometido pelas Farc em território equatoriano, e que seu Governo pedirá ajuda às autoridades desse país.

À mesma rádio colombiana, Uribe afirmou, em conversa por telefone de Washington, que os militares do seu país confirmaram que o seqüestro aconteceu em Pueblo Nuevo (Equador), perto da fronteira com o departamento colombiano de Putumayo.

O presidente disse ainda que cerca de dez pessoas foram levadas, mas que seis foram liberadas logo depois pelos insurgentes.

"Estou preocupado com o seqüestro que houve em Teteyé, no Putumayo. Vamos buscar ajuda do Equador, porque o relato do comandante militar de Putumayo" é de "que as pessoas que já foram libertadas (...) foram seqüestradas em Pueblo Nuevo" pelas Farc, acrescentou. EFE fer/ab/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG