Equador e Peru vão enviar aviões com ajuda humanitária ao Haiti

Quito (Equador) e Lima (Peru), 13 jan (EFE).- Os Governos de Equador e Peru anunciaram hoje que vão enviar aviões com ajuda humanitária ao Haiti para atender as vítimas do forte terremoto que ontem atingiu o país caribenho.

EFE |

Segundo a secretária equatoriana de Gestão de Riscos, María del Pilar Cornejo, seu país enviará profissionais treinados em busca e resgate, além de remédios e alimentos. Há também a intenção de mandar cães treinados para procurar sobreviventes sob os escombros.

Por sua vez, o ministro peruano da Defesa, Rafael Rey, informou que dois aviões da Força Aérea de seu país transportarão alimentos e outros artigos de primeira necessidade.

Rey também confirmou que por enquanto não foi registrada morte de cidadãos peruanos na tragédia, mas o desaparecimento de três que trabalhavam em uma empresa privada do país caribenho.

Já o ministro equatoriano da Defesa, Javier Ponce, garantiu que os sessenta soldados do país que participam da missão de paz no Haiti estão "bem" de saúde e trabalham "intensamente" no resgate de vítimas.

O terremoto, de 7 graus na escala Richter, aconteceu às 19h53 (horário de Brasília) de terça-feira, e teve epicentro a 15 quilômetros de Porto Príncipe, a capital do Haiti. O primeiro-ministro do país, Jean Max Bellerive, afirmou hoje que o número de mortos pode chegar a "centenas de milhares".

O Exército brasileiro confirmou que pelo menos 11 militares do país que participam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto.

A brasileira Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, ligada à Igreja Católica, também morreu na tragédia. EFE.

sm-fcg/id

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG