Equador diz que assina acordo com Petrobras para mudar contrato

QUITO (Reuters) - O Equador chegou a um acordo com a Petrobras para migrar da atual condição de sócia a operadora das suas áreas de concessão na floresta amazônica, em uma negociação bem sucedida para o país andino, afirmou neste sábado o presidente Rafael Correa. A petrolífera francesa Perenco e a espanhola Repsol-YPF também aceitaram as condições do Equador para fechar acordos modificatórios um ano antes de assinarem o contrato definitivo de prestação de serviços.

Reuters |

"Com a Petrobras, a boa notícia é que ontem firmamos o acordo. Está tudo acertado e a empresa aceitou as condições do país: migraremos do contrato de transição de mais ou menos um ano para o contrato de prestação de serviços", disse Correa em seu programa de rádio semanal.

"Com a Perenco também está acertado e com a Repsol fecharemos na próxima semana", acrescentou o líder, que recentemente ameaçou expulsar as empresas estrangeiras do país em um processo de negociação contratual.

O presidente advertiu a Petrobrás no começo do mês com a ameaça de nacionalizar o bloco 18 e o campo unificado Palo Azul, de onde são extraídos uns 32 mil barris por dia (bpd), ante a demora da empresa brasileira em concluir as operações iniciadas no ano passado.

Além disso, ele também ameaçou expulsar outras petrolíferas que operam em sua jurisdição, acusando-as de "brincar com o país" ao reduzir os níveis de investimento e de produção de petróleo, enquanto negociavam com o governo equatoriano.

O acordo com as três petrolíferas se soma ao firmado com o consórcio chinês Andes Petroleum, que aceitou desde o início das negociações as condições estipuladas pelo Equador.

Correa não forneceu detalhes acerca do término dos contratos de transição. As companhias também não emitiram comentários.

(Por Alexandra Valencia)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG