Equador descarta nacionalização de empresas petrolíferas

QUITO (Reuters) - O presidente do Equador, Rafael Correa, que no domingo conseguiu um forte apoio à sua Constituição socialista, descartou na segunda-feira nacionalizar as empresas petrolíferas mas afirmou que não vai permitir que elas reduzam os investimentos. Correa também afirmou que um royalty de 8 por cento sobre as mineradores, como proposto em um projeto de lei para o setor, é muito baixo e afirmou que uma taxa de 70 por cento será aplicada sobre os futuros contratos de mineração.

Reuters |

Ele também não descartou deixar de pagar dívidas "ilegítimas", mas assegurou que isso não aconteceria de maneira direta.

Além disso, ele reiterou que o país continuará cumprindo com suas obrigações externas "enquanto a capacidade do país permitir".

(Por Alonso Soto)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG