Equador defende manutenção dos níveis de produção da Opep

Viena, 9 set (EFE).- O ministro de Minas e Petróleo do Equador, Germânico Alfredo Troya, disse hoje que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) não deveria alterar substancialmente os níveis de produção do cartel.

EFE |

Em declarações feitas aos jornalistas quando chegou a Viena para a 154ª conferência ministerial da Opep, o ministro disse que, neste momento em que a crise começa a ser superada, a manutenção dos níveis de produção contribuirá para o aumento da estabilidade no mercado internacional.

"Nós achamos que as coisas encontram-se numa situação de estabilidade que permitiria que, efetivamente, não seja preciso tomar nenhuma decisão essencial em termos de restrições à produção", assinalou Pinto.

A posição do ministro, que hoje deve deixar de ser vice-presidente da conferência ministerial para passar a presidi-la em todo o ano de 2010, coincide com a de vários colegas, que defendem uma produção média de 24,84 milhões de barris diários (mbd) dentro da Opep.

Sobre o atual preço do barril de petróleo, que se encontra na faixa de US$ 70, Alfredo Troya afirmou que este valor "dá tranquilidade e uma perspectiva de estabilidade em termos de tudo o que" os países da Opep "requerem para seu Orçamento".

"Para o Equador, é um preço razoável", frisou. EFE Wr/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG