Equador apoiará redução na produção de petróleo em cúpula da Opep

Quito, 22 out (EFE).- O ministro de Minas e Petróleos equatoriano, Derlis Palacios, apoiará uma redução da produção de petróleo durante a reunião extraordinária da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) da próxima sexta-feira, em Viena.

EFE |

Uma fonte do Ministério informou à Agência Efe que Palacios viajará hoje à capital austríaca para participar da reunião, em que se discutirá a redução da produção de petróleo do cartel, que atualmente fornece 28,8 milhões de barris diários.

O ministro, em declarações reproduzidas pelo jornal "El Telégrafo", frisou que a redução da cota de exportação da Opep, que poderia chegar até dois milhões de barris diários, permitiria estabilizar o preço do petróleo entre US$ 80 e US$ 90 por barril.

"Esperamos que haja uma subida nos preços do petróleo com a chegada do inverno nos países do norte e depois da reunião da Opep", disse Palacios.

Equador e Venezuela são os únicos produtores de petróleo da América que fazem parte da Opep.

O petróleo é o principal produto de exportação do Equador, pois a receita com a commodity financia quase 35% do orçamento do Estado.

O Equador produz atualmente 500 mil barris diários de petróleo, embora sua cota fixada pela Opep chegue a 510 mil barris. EFE fá/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG