Epidemia de cólera deixa mais de 1.700 mortos no Zimbábue desde agosto

Genebra, 6 jan (EFE).- A epidemia de cólera continua se alastrando no Zimbábue, onde o número de mortos chega a 1.

EFE |

732 e o de casos suspeitos a 34.306 desde o agosto de 2008, informou hoje o Escritório da ONU de Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha).

Os dados de há menos de uma semana indicavam a existência de 31.656 casos e de 1.586 mortos e, segundo as autoridades de saúde, apenas ontem foram registrados 751 novos doentes e 59 vítimas mortais.

A epidemia atinge as dez províncias do Zimbábue, embora Harare, a capital, é de longe a mais afetada com mais de 10.000 doentes.

Esta calamidade sanitária acontece em meio ao "colapso dos serviços sociais, principalmente de educação, saúde e abastecimento de água", informou a ONU.

Diante da gravidade da situação, o Programa Mundial de Alimentos previu a entrega de comida a 4,5 milhões de zimbabuanos a cada mês até março de 2008, quando a colheita deveria começar.

As agências humanitárias se preparam há semanas para um cenário que prevê a infecção de 60.000 pessoas, sobretudo ao considerar que a temporada de chuvas, que torna a transmissão mais fácil, começou.

EFE is/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG