Santiago do Chile, 1 jul (EFE).- A presidente do Chile, Michelle Bachelet, afirmou que a epidemia da gripe suína, com 15 vítimas fatais e 7.

342 contaminados no país, é a pior epidemia dos últimos 52 anos.

"A verdade é que estamos enfrentando uma situação epidêmica mundial que não tínhamos vivido nos últimos 52 anos no país", disse a presidente em visita ao serviço de pediatria de um hospital de Santiago, onde esteve acompanhada pelo ministro da Saúde, Álvaro Erazo.

No entanto, Bachelet afirmou que o sistema de saúde está preparado para enfrentar o surto. "O Chile está preparado, conta com infraestrutura e pessoal para enfrentar a situação e dar atenção e tratamento às pessoas que precisarem", ressaltou.

Os serviços de emergência dos hospitais públicos e particulares do Chile têm ficado lotados nas últimas semanas pela quantidade de consultas de pacientes, seja com gripe comum ou suína.

Além disso, entre 20% e 25% dos médicos do serviço público estão de baixa, também com problemas respiratórios. Diante disso, Erazo pediu aos profissionais da área que "colaborem".

A presidente chilena garantiu que foram tomadas todas as medidas necessárias para enfrentar a gripe suína e outras doenças respiratórias, com carta branca às autoridades de saúde para aplicar as medidas consideradas necessárias para enfrentar a epidemia.

Bachelet disse ainda que as instruções do Ministério da Saúde são atender os casos de problemas respiratórios e suspender temporariamente os controles em consultórios ou cirurgias que não forem urgentes.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE.

gs/dp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.