Enviados de Israel e Irã tiveram encontro, diz porta-voz israelense

Altos funcionários israelenses e iranianos se encontraram em um evento que discutiu a ameaça da proliferação das armas nucleares, segundo uma representante do governo de Israel. Uma porta-voz da Comissão Atômica de Israel disse à BBC que o encontro ocorreu durante sessões da conferência sobre desarmamento e não-proliferação realizada no Cairo, capital do Egito, em setembro.

BBC Brasil |

Esse seria o primeiro contato oficial entre Israel e Irã desde a revolução islâmica iraniana de 1979.

O Irã, porém, negou que o encontro tenha ocorrido.

Teerã não reconhece a existência de Israel, e os dois países se envolvem frequentemente na troca de acusações mútuas e ameaças hostis.

Em conferências internacionais e eventos esportivos, representantes da República Islâmica do Irã invariavelmente evitam qualquer contato com seus pares israelenses.

Negativas
O representante de Israel no encontro a portas fechadas em setembro no hotel Four Seasons, na capital do Egito, teria sido o chefe da seção de controle de armas da Comissão Atômica de Israel, Meirav Zafary-Odiz, segundo a imprensa israelense.

O Irã teria sido representado por Ali Ashgar Soltanieh, embaixador do país na AIEA, a agência da ONU para o controle da energia atômica.

Acredita-se que Israel tenha armas nucleares, apesar de o país não declará-las oficialmente. O Irã é acusado por países ocidentais e por Israel de manter um programa secreto para desenvolver armas nucleares.

O porta-voz da organização para energia atômica do Irã negou os relatos sobre o possível encontro.

"Esta mentira é o tipo de operação psicológica destinada a afetar o constante sucesso da dinâmica diplomacia iraniana nos encontros de Genebra e de Viena", afirmou o porta-voz Ali Shirzadian na TV iraniana.

Um alto funcionário israelense, enquanto isso, descreveu como "absurdo" que as sessões no Cairo implicassem qualquer tipo de contato diplomático entre o Irã e Israel.

"Por vários anos, o Irã e Israel participaram ao mesmo tempo em fóruns multilaterais como esse", disse ele, citando como exemplo os encontros das agências da ONU, como a AIEA.

Sem cumprimentos
Segundo o jornal israelense Haaretz, três sessões da conferência no Cairo envolveram contatos entre delegados iranianos e israelenses.

As sessões envolviam os esforços para fazer do Oriente Médio uma região livre de armas nucleares, para a não-proliferação de armas atômicas na região e para o desenvolvimento de energia nuclear para fins pacíficos.

Segundo o Haaretz, durante uma das discussões Soltanieh teria questionado diretamente Zafary-Odiz: "Vocês têm ou não têm armas nucleares?".

Zafary-Odiz teria sorrido, mas não respondeu.

O jornal diz ainda que os dois representantes não se encontraram a sós fora das sessões nem se cumprimentaram.

Acredita-se que Israel tenha um arsenal de ogivas atômicas com sistemas para lançamento, mas o país se recusa a confirmar ou negar sua existência e não é signatário do Tratado de Não-Proliferação Nuclear.

Os Estados Unidos lideram as acusações de que o Irã está envolvido em um programa secreto para o desenvolvimento de armas nucleares, apesar de o Irã dizer que suas atividades nucleares são para fins puramente pacíficos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG