Nova Délhi, 2 mai (EFE) - Uma delegação tibetana chegará amanhã à China para participar, em nome do dalai lama, de conversas informais com as autoridades chinesas, informou hoje em comunicado o escritório do líder do Tibete no exílio. A delegação será composta pelo enviado especial do dalai lama, Lodi Gyaltsen Gyari, e pelo enviado Kelsang Gyatso, que terão como missão discutir a crise vivenciada pelo Tibete desde 10 de março. Eles transferirão a preocupação de Sua Santidade o dalai lama sobre a gestão da situação realizada pelas autoridades chinesas e darão sugestões para trazer a paz à região, assegurou na nota o secretário do líder tibetano, Chhime R. Chhoekyapa.

Os enviados tentarão também "impulsionar" o processo de negociações com relação ao Tibete a fim de chegar a uma solução "satisfatória para ambas as partes".

O líder tibetano está exilado na Índia desde 1959, após o fracasso de uma rebelião tibetana contra o regime chinês, e se estabeleceu na cidade de Dharamsala, no Himalaia.

A China acusa o dalai lama de buscar a independência do Tibete e de ter instigado os protestos de março na região, nos quais, segundo o Governo chinês, morreram 20 civis, enquanto o tibetano no exílio denunciou 203 mortos. EFE daa/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.