Enviado dos EUA quer ação de Abbas para amenizar bloqueio a Gaza

RAMALLAH - O enviado norte-americano para o Oriente Médio, George Mitchell, pediu na quinta-feira a abertura da fronteira comercial para a Faixa de Gaza com o envolvimento da Autoridade Palestina, apoiada pelo Ocidente. Para termos sucesso em evitar o tráfico ilegal de armas em Gaza, temos de ter um mecanismo que permita o fluxo de bens legais, e isso deve ter a participação da Autoridade Palestina, afirmou.

Redação com agências internacionais |


Mitchell, que realiza sua primeira visita ao Oriente Médio, se reuniu com o presidente palestino, Mahmud Abbas, em Ramallah, na Cisjordânia, e fez um apelo para consolidar um "cessar-fogo duradouro" em Gaza.

"É importante consolidar um cessar-fogo viável e duradouro e incentivamos os esforços feitos neste sentido", declarou à imprensa, ao sair da reunião.

Ele afirmou que o governo de Barack Obama está trabalhando para uma "paz duradoura" na região e que ele se atém a um regulamento básico sobre dois Estados, Israel e a Palestina, "coabitando em paz e segurança".

AP
Mitchell encontra Abbas em Ramallah, na Cisjordânia

Mitchell encontra Abbas em Ramallah, na Cisjordânia

Já o negociador-chefe da ANP, Saeb Erekat, disse que Abbas transmitiu a Mitchell seu desejo de manter os esforços pela iniciativa de paz árabe e o "Mapa de Caminho", plano elaborado pela comunidade internacional que estabelece a retirada de Israel dos territórios ocupados em 1967.

Segundo Erekat, o desejo de Abbas é alcançar a reconciliação dentro da própria ANP e formar um governo de união nacional na Cisjordânia e em Gaza. Na reunião com Mitchell, Abbas afirmou que Israel continua construindo nos assentamentos judaicos e mantendo um muro entre os dois territórios, ações qualificadas por ele como "tentativas de aguçar a separação entre Cisjordânia e Gaza".

Ajuda humanitária

Nesta quinta-feira, a ONU lançou um apelo de US$ 613 milhões para ajudar as pessoas afetadas pela recente ofensiva militar israelense em Gaza. "Essas necessidades são enormes e multi-facetadas", disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, no Fórum Econômico Mundial, em Davos.

Ele acrescentou que os fundos seriam usados para ajudar a superar pelo menos algumas das dificuldades que eles enfrentam, financiando alimentos, água potável, abrigos e assistência médica.

Ban Ki-Moon, que visitou Gaza no início do mês, também repetiu um chamado para que Israel suspenda o bloqueio ao território palestino.

Segundo representantes da ONU, sem o fim do bloqueio é impossível importar os materiais de construção necessários para os trabalhos de reconstrução.

Até agora, o governo de Israel tem se recusado a permitir a entrada de qualquer coisa além da ajuda humanitária básica, afirmando que os materiais de construção poderiam ser usados pelo Hamas para fins militares.

Leia também:


Leia mais sobre Faixa de Gaza

    Leia tudo sobre: gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG