Enviado dos EUA para Sudão quer melhorar situação em Darfur

Cartum, 4 abr (EFE).- O enviado especial dos Estados Unidos para o Sudão, general Scott Gration, mostrou hoje seu desejo de que melhore a situação humanitária na região sudanesa de Darfur, castigada por um conflito há mais de seis anos.

EFE |

O responsável americano, que chegou na quinta-feira passada ao Sudão, fez essa declaração aos jornalistas em Al-Fasher, capital de Darfur Norte, aonde chegou hoje para se informar sobre os problemas enfrentados pelos deslocados por causa do conflito, que, segundo a ONU, poderia superar 2 milhões de pessoas.

Gration insistiu em seu interesse de que melhore a situação dos habitantes e refugiados nessa região, e em encontrar uma solução para a crise entre o Governo sudanês e as 13 organizações humanitárias estrangeiras que tiveram que deixar o país.

Além disso, Gration disse que hoje visitará alguns campos de refugiados para ver no terreno a situação humanitária na região.

Os líderes de tribos locais pediram ao emissário dos EUA que seu país ajude na revogação da ordem de detenção do TPI contra o presidente sudanês, Omar al-Bashir.

Gration respondeu que os EUA não eram signatário do Estatuto de Roma, que levou à criação do TPI, e que sua visita ao Sudão não está relacionada a esse assunto.

No entanto, o representante americano ressaltou a necessidade de que todas as pessoas envolvidas em crimes em Darfur sejam levadas à Justiça. EFE az/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG