Enviado dos EUA diz que Líbano não pagará preço por paz no O.Médio

Beirute, 12 jun (EFE).- O enviado americano para o Oriente Médio, George Mitchell, afirmou hoje que o Líbano não será prejudicado por uma solução política na região e que contará com a ajuda de todos os países para conseguir isso.

EFE |

"O Líbano contribui à estabilidade no Oriente Médio e desempenha um papel primordial nos esforços necessários para a conquista de uma paz duradoura e global", afirmou Mitchell em Beirute após se reunir com o primeiro-ministro libanês, Fouad Siniora.

"O Líbano não deve pagar o preço de um acordo duradouro" no Oriente Médio, afirmou o premiê.

"Queremos continuar trabalhando com este país para conseguir uma solução", acrescentou, e disse que "o presidente (americano Barack) Obama demonstrou que está comprometido, de modo sério, na busca de uma paz global na região".

Mitchell, cuja mãe é libanesa, se encontra imerso em uma viagem que já o levou ao Egito, a Israel, aos territórios palestinos e à Jordânia.

O emissário americano também manteve uma reunião com o presidente do Líbano, Michel Suleiman.

Ele disse a Mitchell que o Líbano está "preparado para participar de qualquer conferência internacional sobre o Oriente Médio com base na iniciativa de paz árabe", que inclui a rejeição ao assentamento definitivo dos palestinos em solo libanês.

O enviado americano aproveitou para felicitar os libaneses pelas eleições parlamentares realizadas no domingo no país.

Mitchell ainda deve se reunir com Saad Hariri, chefe do grupo parlamentar mais importante e vencedor das eleições de domingo. Ele também é filho do primeiro-ministro assassinado Rafik Hariri.

Hoje à tarde ele deve ir à Síria, país visitado recentemente pelo ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter, que se reuniu com o presidente Bashar al-Assad. EFE ks/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG