VATICANO (Reuters) - O papa Bento 16 vai escolher um enviado especial para administrar e reformar uma influente ordem católica, depois da descoberta que seu fundador, já falecido, havia sido um molestador sexual e que também seria pai de, pelo menos, uma criança.

Um comunicado do Vaticano, neste sábado, disse que o papa também nomeará uma comissão para revisar a constituição ou os princípios fundamentais dos Legionários de Cristo, cujo fundador, padre Marcial Maciel, viveu uma vida dupla durante décadas.

" /

VATICANO (Reuters) - O papa Bento 16 vai escolher um enviado especial para administrar e reformar uma influente ordem católica, depois da descoberta que seu fundador, já falecido, havia sido um molestador sexual e que também seria pai de, pelo menos, uma criança.

Um comunicado do Vaticano, neste sábado, disse que o papa também nomeará uma comissão para revisar a constituição ou os princípios fundamentais dos Legionários de Cristo, cujo fundador, padre Marcial Maciel, viveu uma vida dupla durante décadas.

" /

Enviado do papa cuidará de ordem envolvida em escândalo

VATICANO (Reuters) - O papa Bento 16 vai escolher um enviado especial para administrar e reformar uma influente ordem católica, depois da descoberta que seu fundador, já falecido, havia sido um molestador sexual e que também seria pai de, pelo menos, uma criança.

Um comunicado do Vaticano, neste sábado, disse que o papa também nomeará uma comissão para revisar a constituição ou os princípios fundamentais dos Legionários de Cristo, cujo fundador, padre Marcial Maciel, viveu uma vida dupla durante décadas.

Reuters |

VATICANO (Reuters) - O papa Bento 16 vai escolher um enviado especial para administrar e reformar uma influente ordem católica, depois da descoberta que seu fundador, já falecido, havia sido um molestador sexual e que também seria pai de, pelo menos, uma criança.

Um comunicado do Vaticano, neste sábado, disse que o papa também nomeará uma comissão para revisar a constituição ou os princípios fundamentais dos Legionários de Cristo, cujo fundador, padre Marcial Maciel, viveu uma vida dupla durante décadas.

O anúncio foi feito no final de uma investigação, que durou um ano, da ordem conservadora, e que incluiu visitas de inspetores papais aos seus mais de 120 seminários, 200 escolas e 600 centros para católicos laicos, no mundo todo.

Alguns críticos disseram que o escândalo deixou a ordem em uma situação irreparável e pediam a sua dissolução, mas o papa decidiu tomar uma medida parcial, visando a reestruturação da ordem.

O comunicado afirma que, apesar de Maciel ser culpado de "um comportamento grave e absolutamente imoral" e que havia conseguido enganar muita gente, a maioria dos seus membros atuais tinham um "empenho sincero" e não tinham conhecimento do que seriam seus "verdadeiros crimes".

O escândalo envolvendo a ordem, que tem cerca de 850 padres e 2.500 seminaristas em 21 países e dirige uma universidade católica em Roma, atingiu o seu auge justamente quando a Igreja Católica está sendo sacudida por escândalos de abuso sexual.

Maciel, um mexicano que fundou a ordem em 1941 e morreu em 2008, aos 87 anos, era uma figura cultuada dentro da ordem e durante anos teve o apoio do papa João Paulo 2o, apesar das alegações de que ele teria abusado de jovens rapazes seminaristas.

(Por Philip Pullella)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG