George Mitchell renuncia ao posto após mais de dois anos de infrutíferas tentativas de acordo entre israelenses e palestinos

Foto de setembro de 2010 mostra George Mitchell em entrevista no Departamento de Estado americano
AP
Foto de setembro de 2010 mostra George Mitchell em entrevista no Departamento de Estado americano
O enviado especial americano para o Oriente Médio, George Mitchell deixará o cargo da administração do presidente americano, Barack Obama, depois de mais de dois anos de infrutíveras tentativas de pressionar Israel e palestinos para as negociações de paz.

Nesta sexta-feira, ao comentar a renúncia de Mitchell, Obama reafirmou o compromisso dos Estados Unidos de alcançar a paz entre israelenses e palestinos. "Nos últimos dois anos e meio, George Mitchell trabalhou de maneira incansável para a paz como emissário especial dos Estados Unidos para o Oriente Médio", disse Obama em um comunicado. "Como nação, seguimos comprometidos em alcançar a paz no Oriente Médio e em continuar com o trabalho de George (Mitchell)", explicou.

Os planos de renúncia do enviado americano acontecem em um momento crítico para o Oriente Médio, palco de protestos em prol de mudanças democráticas, e para o processo de paz entre palestinos e israelenses, cujas negociações vêm se arrastando desde setembro, após tentativa de acordo fracassada.

A situação está ainda mais complicada depois de um acordo para governo entre os rivais palestinos Fatah e Hamas, rompidos desde 2007. O acordo desagradou autoridades israelenses. O premiê de Israel, Benjamin Netanyahu, decidiu lançar uma campanha para que nenhum governo palestino seja reconhecido com membros do Hamas e disse que utilizará o acordo interpalestino para minar o reconhecimento de um possível Estado palestino.

Discurso

Obama fará um discurso na próxima quinta-feira, no Departamento de Estado americano, sobre visões e progressos de sua administração na região. O discurso antecede a visita a Washington do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, assim como do rei da Jordânia, Abdullah 2º.

Após a notícia sobre a renúncia de Mitchell, o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, frisou que a administração Obama continua focada no processo de paz do Oriente Médio. “O comprometimento do presidente continua tão firme quanto quando ele chegou à Casa Branca”, disse.

Desde que foi apontado no segundo dia de Obama no cargo, Mitchell, 77 anos, esteve na maior parte do tempo entre líderes israelenses, palestinos e de países árabes aliados na tentativa de dar início ao processo de paz que poderia levar à criação de um Estado palestino independente. Nos últimos meses, particularmente, os levantes em países do mundo árabe que tinham os EUA como aliados e com a saída do ex-líder egípcio Hosni Mubarak, crucial para o processo de paz no Oriente Médio, seus progressos foram notadamente prejudicados.

*Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.