Enviado americano analisa conflito de Darfur e crise com TPI no Sudão

Cartum, 9 ago (EFE).- O enviado especial americano para o Sudão, Richard Williamson, analisou hoje com o primeiro vice-presidente do Sudão, Salva Kiir, o conflito de Darfur e a crise entre o Governo sudanês e o Tribunal Penal Internacional (TPI).

EFE |

O emissário americano chegou na sexta-feira à noite a Cartum, em um visita de uma semana para ir à região de Darfur, no oeste do país, e Juba, capital da região autônoma do Sul do Sudão, segundo a agência sudanesa "Sunna".

Hoje, Williamson foi recebido por Salva Kiir, primeiro vice-presidente do Sudão e presidente da região autônoma do Sul do Sudão, e depois por outros responsáveis do Governo de Cartum.

Em declarações citadas pela "Sunna", Kiir advertiu que a ordem de detenção pedida no mês passado pelo promotor-chefe do TPI, Luis Moreno Ocampo, contra o presidente sudanês, Omar Hassan Ahmad al-Bashir, pro acusação de envolvimento do líder em crimes de guerra em Darfur "não ajudará ao Sudão a restaurar a paz nessa região".

Nesse sentido, o responsável sudanês também ressaltou que esse pedido de detenção "terá repercussões negativas nos países vizinhos ao Sudão afetados pela instabilidade, por isso o assunto (da ordem de detenção) deve ser estudado" com atenção.

Williamson lembrou que seu país não é membro do TPI, por isso não tem poder de decisão nesse organismo internacional.

Além disso, o enviado americano destacou o acordo alcançado recentemente por Bashir e Kiir sobre a rica zona petrolífera de Ebei, situada no sul do país, e que é disputada pelo Governo central e pela região autônoma do sul.

Por último, os dois funcionários avaliaram a situação em Darfur e os esforços para impulsionar o diálogo, a fim de obter uma solução que acabe com o conflito que castiga essa região. EFE aj/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG