ENTREVISTA-Trégua em Gaza permitiria envio de forças da ONU

Por Adam Entous JERUSALÉM (Reuters) - Uma trégua mediada pelo Egito e as negociações realizadas entre facções palestinas rivais podem criar o ambiente necessário para o envio de forças de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) à Faixa de Gaza, disse na quinta-feira um enviado da entidade internacional.

Reuters |

Robert Serry, coordenador especial da ONU para o processo de paz no Oriente Médio, disse que a idéia de enviar forças de paz era 'prematura' neste momento, mas que poderia tornar-se 'bastante viável' futuramente, se melhorar a situação política e de segurança.

O cessar-fogo assinado por Israel e pelo grupo islâmico Hamas em um processo mediado pelo Egito começou a vigorar na quinta-feira, mas os dois lados manifestaram dúvidas a respeito da duração dele.

Pelos termos do acordo, as duas partes deixarão de realizar ataques através da fronteira e Israel, gradualmente, tornará menos severo o bloqueio econômico imposto a esse território costeiro depois de o Hamas, há um ano, ter expulsado dali as forças da facção Fatah, ligadas ao presidente palestino, Mahmoud Abbas.

'Eu sei que já há muita desconfiança', afirmou Serry à Reuters, em uma entrevista. 'Nós deveríamos ter em mente que esse cessar-fogo é ainda frágil, e que continuará a sê-lo nas próximas semanas especialmente. E é por isso que esperamos de todas as partes que ajam com cuidado e responsabilidade para garantir que o período de calma perdure.'

Segundo Serry, agências da ONU incentivariam a moribunda economia da Faixa de Gaza retomando as obras congeladas no ano passado devido às restrições impostas por Israel a respeito da importação de materiais de construção.

'Queremos que os postos de fronteira sejam reabertos de forma controlada e sustentável', disse Serry, acrescentando que isso deveria envolver a participação 'da legítima Autoridade Palestina', uma referência ao governo de Abbas, que controla atualmente a Cisjordânia e tem como primeiro-ministro Salam Fayyad.

Além de amenizar o bloqueio à Faixa de Gaza, as preocupações de Israel e do Egito a respeito da segurança deveriam ser respondidas rapidamente, afirmou o enviado da ONU.

O governo israelense exigiu o fim do contrabando de armas para a Faixa de Gaza e condicionou a reabertura do posto de fronteira de Rafah, com o Egito, à libertação do soldado israelense Gilad Shalit, capturado por militantes palestinos.

Nos últimos meses, o governo de Fayyad e autoridades da ONU discutiram a idéia de colocar forças de paz da organização na ponta sul da Faixa de Gaza, uma região pouco povoada que se estende entre Rafah, o posto de fronteira de Kerem Shalom (na fronteira israelo-egípcia) e o posto comercial de Karni, com Israel.

Autoridades israelenses e diplomatas ocidentais disseram que as forças internacionais deveriam montar sua base no hoje desativado aeroporto da Faixa de Gaza.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG