Por Alan Baldwin WOKING, Grã-Bretanha (Reuters) - O campeão mundial de Fórmula 1 Lewis Hamilton admitiu nesta quinta-feira que dentro de poucas corridas pode não ter mais chances de defender o título, e apontou o também britânico Jenson Button como favorito.

"Acho que Jenson tem uma grande chance, então lhe desejo o melhor", afirmou o piloto à Reuters em entrevista na fábrica da McLaren. "Acho que se fosse para eu torcer para alguém, seria para ele."

Ao contrário do ferrarista Felipe Massa, que já no fim de semana passado, na Espanha, admitiu que sua equipe não tem mais chances neste ano, Hamilton afirmou que ainda não é hora de jogar a toalha.

"Cada um tem seu jeito de pensar, e para mim eu tenho um trabalho a fazer", afirmou Hamilton, que marcou apenas 9 pontos em cinco provas, contra 41 de Button, da estreante equipe Brawn GP.

O atual campeão disse que nunca esteve "tão atrás ou na frente em termos de pontos", mas que "ainda há muitas corridas restantes" e ele terá chances "se o carro que está liderando não terminar as próximas dez corridas". "Nunca termina até que tenha terminado", acrescentou, otimista.

"Certamente quando chegarmos à metade da temporada, se ainda não tivermos marcado muitos pontos..., vamos continuar tentando ganhar corridas, mas claramente defender o campeonato mundial estará fora de questão."

Hamilton levou volta de Button na última prova, em Barcelona, e foi nono colocado. O atual líder do Mundial conquistou na Espanha sua quarta vitória em cinco provas na temporada.

Na semana que vem ocorre a charmosa prova de Mônaco, onde Hamilton venceu em 2008 e foi segundo colocado na sua temporada de estreia, em 2007. Ali, ele espera brilhar -- e não só por causa do capacete especial com o número 1 em diamantes, oferecido por um patrocinador.

"Mônaco será um dos circuitos, ao menos até agora, onde temos as melhores chances de vencer. Não significa que iremos vencer, mas chegamos esperançosos por um pacote melhor e por conseguir virar as coisas."

Button, que mora em Mônaco, vive aos 29 anos uma temporada de sonhos, após quase ficar desempregado no final de 2008, devido à desativação da equipe Honda.

"Acho essa uma grande história, então lhe desejo toda a sorte", disse Hamilton. "(A Brawn) terá um grande carro lá (em Mônaco), então derrotá-los será muito duro."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.