ENTREVISTA-G8 precisa acordar e buscar crescimento--Gordon Brown

Por Sumeet Desai LONDRES (Reuters) - O mundo precisa acordar para a escala da desaceleração econômica e manter o foco na retomada do crescimento econômico, afirmou o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, em entrevista à Reuters, às vésperas da reunião do G8.

Reuters |

Evitando falar sobre a possibilidade de se aprofundar no encontro a discussão sobre uma nova moeda global para substituir o dólar, Brown afirmou que a preocupação imediata é sair da recessão e evitar os perigos de um alto preço do petróleo, do protecionismo e da escassez de crédito.

Ele se recusou a descartar limites para a especulação com petróleo e declarou que a reunião nesta semana entre os oito países mais desenvolvidos do mundo e as principais nações em desenvolvimento deve buscar um acordo sobre o corte nas emissões de carbono e a retomada das negociações comerciais.

"Este é um chamado para nós acordarmos", disse Brown, nove meses depois de liderar a resposta mundial à crise bancária. "Temos que enfrentar o desafio de retomar o crescimento na economia global."

"Bancos precisam emprestar, o comércio precisa ser retomado, e precisamos manter os preços de commodities num nível que permita crescimento", declarou.

Brown afirmou achar que seria errado começar a tirar o estímulo fiscal e monetário dado às principais economias no ano passado, uma idéia que tem sido defendida pela Alemanha.

"Devemos começar a preparar estratégias de retirada, mas devemos implementá-las quando tivermos certeza de que você conseguiu a recuperação. Acho que ninguém está dizendo que já chegamos a esse ponto", disse uma autoridade britânica.

O premiê, cujo Partido Trabalhista está atrás nas pesquisas e precisa de uma recuperação econômica antes das próximas eleições, previstas para maio, afirmou que o momento atual não é para complacência e que ele permanece vigiando o sistema financeiro.

NOVA MOEDA

Os preparativos para a cúpula do G8 na Itália estão sendo marcados pela especulação de que China e Rússia vão querer discutir uma nova moeda de reserva internacional para substituir o dólar.

Questionado sobre isso, Brown disse: "Os países são livres para apresentar proposições, mas eu imaginaria as pessoas mais interessadas em detalhar como retomaremos o crescimento agora".

(Reportagem adicional Matt Falloon)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG