Entrega de reféns das Farc é adiada em um dia na Colômbia

BOGOTÁ (Reuters) - O processo para a anunciada libertação de dois reféns sequestrados pela maior guerrilha de esquerda da Colômbia foi adiado em um dia devido à demora na entrega de uma informação ao governo, anunciou nesta quinta-feira o alto comissário para a paz, Frank Pearl. A senadora do Partido Liberal, Piedad Córdoba, que viajará na sexta-feira ao Brasil para coordenar a missão humanitária, havia informado que a primeira libertação aconteceria no sábado e a segunda entrega, na segunda-feira.

Reuters |

"O processo avança bem. Decidimos adiar em um dia a primeira libertação. Já não será neste sábado, será no domingo", disse Pearl a jornalistas, ao explicar que a demora na entrega de uma informação provocou a mudança.

O funcionário acreditava que a segunda libertação acontecerá na terça-feira e garantiu que na sexta-feira à tarde o comandante das Forças Militares, general Freddy Padilla de León, irá se reunir com representantes da missão humanitária para acertar alguns detalhes.

O processo para a libertação do suboficial Pablo Emilio Moncayo, do soldado Josué Daniel Calvo e a entrega dos restos mortais do oficial de polícia Julián Ernesto Guevara, que morreu no cativeiro, avançou nesta semana depois de as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) aceitarem um protocolo com as garantias de segurança por parte do governo para as libertações.

O Brasil, que no início de 2009 participou da missão de entrega de outros seis reféns, emprestará os helicópteros e as tripulações para receber os dois militares.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG