Entrada de americanos no Irã tem ligação com protestos--deputado

TEERÃ (Reuters) - Um influente parlamentar iraniano disse nesta segunda-feira que a entrada ilegal de três norte-americanos que foram presos no Irã pode ter relação com os distúrbios pós-eleitorais na República Islâmica. O Irã prendeu há mais de uma semana três norte-americanos que cruzaram a fronteira vindos do Iraque durante uma caminhada, segundo autoridades iraquianas.

Reuters |

"Sua entrada ilegal não pode ser totalmente não-relacionada com o distúrbio pós-eleitoral. Que missão os três estavam realizando no Irã? Por que não solicitaram vistos do Irã", disse Mohammad Karamirad, membro do Comitê de Assuntos Exteriores e Segurança Nacional do Parlamento, à agência oficial de notícias Irna.

"No cenário mais otimista, achamos que os três tinham planos de interferir nos assuntos internos do Irã", afirmou.

O assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, Jim Jones, disse no domingo que os EUA estão pressionando Teerã a libertar o grupo.

A oposição iraniana diz que houve fraude no pleito de 12 de junho, que reelegeu o presidente Mahmoud Ahmadinejad.

O resultado eleitoral mergulhou o Irã na sua pior crise interna desde a Revolução Islâmica de 1979. Pelo menos 20 pessoas morreram e centenas foram presas em incidentes desde então.

Os governos de EUA, França, Grã-Bretanha, Itália e Alemanha não cumprimentaram Ahmadinejad pela reeleição, como é praxe.

Potências ocidentais também pressionam o Irã abandonar seu programa nuclear, que Teerã garante ser pacífico.

(Por Parisa Hafezi)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG