Entidades humanitárias organizam partida para lembrar vítimas da ditadura

BUENOS AIRES - Adolfo Pérez Esquivel, ganhador do Prêmio Nobel da Paz em 1980, anunciou junto a entidades de direitos humanos a organização de uma partida de futebol para lembrar as vítimas que sofreram com a ditadura militar argentina (1976-1983).

Ansa |

O jogo, batizado como "A outra final", pretende homenagear os presos políticos que foram assassinados durante a ditadura militar, muitos deles no centro da Escola de Mecânica da Armada (Esma), localizada a 500 metros do estádio onde foi disputada a final da Copa de 1978 entre Argentina e Holanda.

"O Mundial de 1978, organizado pela ditadura militar, foi utilizado como propaganda de uma Argentina próspera e pacífica", lembrou Ana Careaga, titular do Instituto Espaço para a Memória, uma das entidades que promovem "A outra final".

"O clima de exaltação pela conquista da copa foi capitalizado pela ditadura, que acabava por silenciar as manifestações de protesto", acrescentou Careaga, a respeito de um artifício que foi utilizado também por outras ditaduras da América do Sul, como no Brasil.

Esquivel anunciou que a partida será no dia 29 de junho, no estádio Monumental de Nuñez, e contará com a participação de alguns jogadores da seleção de 78 e outros jovens que representarão aqueles que foram vítimas do regime ditatorial argentino.

Leia mais sobre: ditadura na Argentina

    Leia tudo sobre: argentinaditaduraditadura na argentina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG