Entidades hispânicas querem que Obama debata imigração no 1º ano do mandato

NOVA YORK - As organizações hispânicas esperam que o próximo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, aborde com prontidão assuntos importantes para esta parcela da população, como a reforma imigratória, o sistema de saúde ou o emprego, e que isso se reflita nas nomeações de sua Administração.

EFE |

Cerca de 66% da comunidade latina apóiam Obama nas urnas, contra 31% que escolheram o senador republicano John McCain com a esperança de que a nova Administração represente uma melhor qualidade de vida para os hispânicos.

Os desejos na saída dos colégios eleitorais se repetiam, independentemente do país de origem: uma reforma imigratória que interrompa as deportações, mais empregos, o fim da guerra, melhoras ao sistema de saúde e ao de educação, cobertura médica para todos e mais ajuda aos idosos.

A Coalizão do Imigrante de Nova York, que reúne organizações que levam serviços a esta comunidade, parabenizou o presidente eleito, "filho de um imigrante", por seu histórico triunfo.

A organização lembrou que, agora mais que nunca, continua urgente "a necessidade de uma reforma imigratória justa e humana" e que espera trabalhar com a Administração Obama e o novo Congresso para obter uma legislação que reconheça o trabalho duro e as contribuições dos imigrantes à nação.

"A imigração continua sendo um tema de muita importância e, por isso, vimos um número recorde de latinos que foram votar e muitos deles pela primeira vez", disse Javier Valdez, diretor de apoio aos direitos dos imigrantes na Coalizão.

"Acho que a comunidade latina está pronta para se integrar ao processo político e é algo que a nova Administração terá que levar em conta", acrescentou.

Ele lembrou que a Coalizão e outras organizações pró-imigrantes ao longo do país estarão atentas a que Obama cumpra sua promessa de responder ao tema da reforma em seu primeiro ano de Governo.

Para isso, disse, em 21 de janeiro, primeiro dia de trabalho de Obama como presidente, após tomar posse no dia anterior, viajarão à capital para pedir o fim das operações e para garantir que o tema da imigração seja abordado nos primeiros 365 dias de sua gestão.

Para a Associação Tepeyac, que dá auxílio à comunidade mexicana em Nova York, dois temas prioritários são a imigração e a educação.

O diretor-executivo da organização lembrou à Agência Efe que Obama insistiu muito em sua campanha no trabalho que é preciso fazer em todas as comunidades para melhorar a educação.

"O que mais esperamos é que tenhamos a oportunidade de ter programas que impulsionem os jovens a ter acesso à educação, sobretudo universitária", afirmou.

    Leia tudo sobre: imigraçãoobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG