Entidade alerta para risco de massacre em campo de refugiados

Genebra, 5 ago (EFE).- A Organização Mundial Contra a Tortura (OMCT) alertou hoje para o risco de um segundo massacre no campo de refugiados iranianos de Ashraf caso o local continue sob a proteção iraquiana.

EFE |

"O risco é enorme. A proteção do Iraque não é suficiente. Já houve um massacre e poderão acontecer outros", disse o secretário-geral da organização, Eric Sottas.

O campo de Ashraf fica ao norte de Bagdá e a cerca de 80 quilômetros da fronteira com o Irã, e é habitado há quase 20 anos por militantes de um grupo de oposição iraniano que deixou as armas nos anos 90.

O local, que tinha cerca de 3,5 mil militantes dos Mujahedins do Povo do Irã (PMOI, em inglês), foi controlado por forças dos Estados Unidos de 2003 até o começo deste ano, quando o controle passou às mãos iraquianas.

A Polícia iraquiana se mantinha nos arredores do local, mas na terça-feira passada decidiu invadir para impor sua autoridade, disseram porta-vozes do Governo, após a incursão.

Sottas denunciou que os ataques deixaram 13 mortos e dezenas de feridos. Além disso, 36 pessoas foram obrigadas a abandonar o acampamento.

"Eles podem ter sido entregues às autoridades iranianas sem nenhuma acusação sólida, nem defesa possível", afirmou.

Por sua vez, o político e sociólogo suíço Jean Ziegler disse que "há 10 dias existe uma barreira física que impede a chegada de alimentos ao acampamento, e os comerciantes iraquianos foram ameaçados. Por isso, não querem vender sua mercadorias aos refugiados". EFE mrm/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG