Enterrados restos de 2 mil civis achados em vala comum na Polônia

Varsóvia, 14 ago (EFE).- Os restos de mais de dois mil civis alemães encontrados no ano passado em uma vala comum na Polônia, possivelmente da Segunda Guerra Mundial, foram enterrados hoje no cemitério militar de Glinna, noroeste do país.

EFE |

Os milhares de ossos surgiram há meses em Malbork, norte da Polônia, onde tinham permanecido até agora, e os especialistas tentavam resolver o enigma desse enterro em massa, descoberto por acaso durante as obras de construção de um hotel e um centro de conferências.

Os investigadores acreditam que os restos pertencem a vítimas da Segunda Guerra Mundial, possivelmente mortas pelo Exército Vermelho que devastou esta localidade durante seu avanço em direção a Berlim em 1945, nas últimas semanas do conflito.

Até o final da Segunda Guerra, Malbork fez parte da Prússia Oriental, na Alemanha, então chamada de Marienburg, o que justifica que os restos sejam atribuídos a civis germânicos.

"O mais diferente em tudo isto é que entre os ossos não foi encontrado um só documento de identificação", afirmou Zbigniew Sawicki, o arqueólogo que lidera a equipe que estuda a vala comum, que destacou que também não foram encontrados restos de roupa ou de qualquer outro artigo pessoal.

Sawicki ressaltou o alto número de mulheres (mais de mil) e crianças (cerca de 380) enterradas na fossa, que foi aberta a cerca de 300 metros do castelo de Malbork, uma fortaleza medieval construída por ordem dos cavalheiros teutônicos e que a cada ano é visitada por milhares de turistas. EFE nt/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG