Entenda como funcionam as eleições americanas

Republicano que disputará presidência contra Obama em 6 de novembro será definido em prévias do partido que podem durar até julho

Carolina Cimenti, de Nova York |

Getty Images
Pré-candidatos republicanos (esq. para dir.) Santorum, Perry, Romney, Gingrich, Ron Paul, Bachmann e Huntsman são vistos antes de debate em 15 de dezembro de 2011
Com o cáucus de terça-feira em Iowa, começa a disputa entre pré-candidatos republicanos para definir quem representará o partido contra o presidente dos EUA, o democrata Barack Obama, nas eleições presidenciais de 6 de novembro.

Após a desistência em 3 de dezembro de Herman Cain em meio a denúncias de que assediou sexualmente funcionárias e manteve um caso extraconjugal por 13 anos, há sete candidatos na disputa (em ordem alfabética): Jon Huntsman, Michelle Bachmann , Mitt Romney , Newt Gingrich , Ron Paul, Rick Perry e Rick Santorum .

Infográfico: Veja infográfico com miniperfil dos concorrentes

A previsão é de que os eleitores participem até fim de junho de prévias nos 50 Estados americanos para definir o candidato do Partido Republicano, que esteve pela última vez no poder durante os dois mandatos de George W. Bush (2001-2009).

Se a disputa não for acirrada, há chances também de ser definida mais cedo, na chamada Super Terça-Feira de 6 de março, quando haverá votações em mais de dez Estados.

Agenda: Confira o calendário da disputa presidencial dos EUA

Cada Estado escolhe qual tipo de prévia adotar: primárias ou cáucus. E o que são cada uma delas?

A primária é uma votação secreta tradicional, com urnas e papéis, organizada normalmente pelo governo local e aberta a todos os eleitores registrados. Nas primárias fechadas, os eleitores podem participar apenas da votação do partido em que estão registrados (ou seja, só votam em uma prévia republicana os eleitores dessa legenda). Nas abertas, podem votar na primária do partido que escolherem, independentemente de sua filiação partidária. A maioria dos Estado faz primárias fechadas.

Os cáucuses, que também podem ser fechados ou abertos, são encontros que incluem debates, discursos e divisão de grupos. Quando eles começam, os eleitores se dividem de acordo com o candidato que apoiam. Para persuadir os indecisos a aderir a seu grupo, os eleitores discursam em apoio a seu candidato. No final, os organizadores contam quantos votos cada candidato recebeu.

Votação indireta

Mas nos dois casos (cáucus e primárias), os votos não vão diretamente para os candidatos. Eles na verdade determinam a quantidade de delegados (ou representantes) que cada candidato terá na convenção nacional do partido - na qual um candidato será oficialmente aclamado depois das primárias e cáucuses.

O número de delegados de cada Estado é definido pela população. A Califórnia, por exemplo, tem 55 representantes, enquanto Nova York conta com 29 e o Alasca somente com 3. Por isso, é mais importante vencer em alguns Estados do que em outros.

Para distribuir os delegados, os democratas usam um método proporcional. Cada candidato recebe o número de delegados correspondente ao percentual de votos nas primárias ou cáucuses. No Partido Republicano, um Estado pode escolher o método proporcional ou o do "ganhador leva tudo", no qual o candidato que recebeu a maioria dos votos em determinada prévia ganha todos os delegados correspondentes.

O vencedor entre os pré-candidatos republicanos será anunciado oficialmente na convenção do partido em Tampa, na Flórida, prevista para 27 de agosto. Como o presidente Obama já anunciou sua decisão de concorrer à reeleição , os democratas não realizarão prévias no partido neste ano. De qualquer forma, o líder americano será aclamado oficialmente como candidato do partido na convenção democrata, que ocorre em Charlotte, Carolina do Norte, em 3 de setembro.

Eleição propriamente dita

Em 6 de novembro, os eleitores comparecerão às urnas para escolher entre Obama e o futuro candidato republicano. E, assim como nas primárias e cáucuses, os votos em cada Estado serão usados para determinar quantos delegados cada um terá no chamado Colégio Eleitoral - que determina o presidente americano.

Saiba mais: Entenda como funciona o Colégio Eleitoral americano

Como já ocorreu no passado, há a possibilidade de um candidato com maior porcentual de votos populares não vencer por não conquistar número suficiente de delegados no Colégio Eleitoral. Exemplo disso foi a eleição de 2000, quando Bush foi eleito pela primeira vez ao vencer o democrata Al Gore.

Naquele ano, Bush recebeu 47,87% do total dos votos, enquanto Al Gore obteve 48,38%. Mas, como venceu em Estados com maior peso no Colégio Eleitoral (após semanas de contestação na Justiça da Flórida), mudou-se para a Casa Branca no ano seguinte apesar de ter recebido 500 mil votos a menos que seu concorrente.

    Leia tudo sobre: euaeleição nos euarepublicanosobamaperryromneygingrichbachmanninfográfico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG