Engenheiro dos EUA é acusado de espionar para Israel

O engenheiro militar americano Ben-Ami Kadish, de 84 anos, compareceu nesta terça-feira a um tribunal federal em Nova York para responder a acusações de que teria repassado informações confidenciais sobre armas nucleares, caças e mísseis para Israel na década de 80. Kadish trabalhou em um centro de engenharia e desenvolvimento de armas do exército americano em Nova Jersey de 1979 a 1985.

BBC Brasil |

De acordo com o tribunal americano, de 1980 a 1985 ele teria repassado diversos documentos confidenciais relacionados à defesa nacional a um funcionário do Consulado Geral de Israel em Manhattan.

Segundo a Justiça, esse contato seria a mesma pessoa para quem o ex-funcionário do Departamento de Defesa americano Jonathan Jay Pollard repassava documentos confidenciais.

Pollard foi condenado por espionagem em 1987 e cumpre prisão perpétua. Em 1988, o governo de Israel admitiu publicamente que Pollard atuou como agente e concedeu a ele a cidadania israelense.

De acordo com a Justiça, Kadish teria recebido presentes e jantares em restaurantes como pagamento por seus supostos serviços de espionagem - mas não dinheiro.

Kadish não fez comentários ao sair do tribunal.

Os Estados Unidos são aliados de Israel e fornecem ao país mais de US$ 2 bilhões por ano em ajuda militar.

Os dois países também mantêm cooperação na área de tecnologia militar.

O porta-voz do Departamento de Estado, Tom Casey, disse que o governo israelense será informado a respeito do caso envolvendo Kadish.

"Vinte e poucos anos atrás, durante o caso Pollard, nós percebemos que esse não era o tipo de comportamento que esperamos de amigos e aliados", disse Casey, afirmando que a posição permanece a mesma.

Leia mais sobre: espionagem

    Leia tudo sobre: espiãoeuaisrael

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG