Enfrentamentos matam ao menos 34 e ferem 90 na Somália

Mogadíscio, 22 set (EFE).- Pelo menos 34 pessoas morreram e outras 90 ficaram feridas em enfrentamento hoje entre milicianos islâmicos e a missão de paz da União Africana na Somália (Amisom) em um mercado central de Mogadíscio.

EFE |

Segundo Ali Mohammed Ali Dhere, um líder comercial do mercado de Bakara, o maior da capital, a maioria das mortes foram entre civis.

"Morreram 16 pessoas no mercado. Utilizaram um tipo de projéteis pesados que nunca antes tínhamos visto", disse Ali Dhere, que acusou o Governo de "massacrar civis inocentes apesar das forças africanas saberem muito bem quem foram seus atacantes".

Milicianos da Al-Shabab, braço militar da antiga União das Cortes Islâmicas (UCI) da Somália, atacaram no começo da manhã várias bases do contingente de paz da União Africana (UA) em Mogadíscio e nos tiroteios morreram 18 pessoas, em sua maioria civis.

Pouco depois, tropas do Governo de transição somali, apoiadas por soldados etíopes e forças da UA fizeram disparos de artilharia contra a área do mercado Bakara, considerada reduto dos insurgentes islâmicos.

A Al-Shabab assumiu a autoria dos ataques contra as forças africanas, além de outros contra a sede de Governo e o aeroporto, mas acusou a UA de "se vingar nos civis".

"Esses tolos invasores ugandenses e burundineses (nacionalidades dos membros do contingente de paz) mataram civis, isso é o que fazem normalmente quando os atacamos", disse um dos dirigentes da milícia islâmica fundamentalista, Sheikh Mukhtar Robow Ali, conhecido também "Abu Mansoor". EFE aa/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG