TEERÃ - Pelo menos quatro pessoas morreram neste domingo em enfrentamentos entre partidários da oposição e forças de segurança no centro de Teerã, informaram sites pró-reformistas.

Segundo o site "Nasimfarda", quatro pessoas morreram em intensos choques no centro da cidade.

A informação, que também foi divulgada pelos sites pró-reformistas "Jaras" e "Rahesabz", não pode ser confirmada já que a imprensa internacional está proibida de trabalhar nas ruas e de cobrir as manifestações da oposição.

Uma testemunha disse que os opositores se juntaram em grupos ao longo de vários quilômetros de uma das principais ruas do centro. "A polícia não os deixa se juntarem uns aos outros", disse ela.


Manifestantes enfrentam forças de segurança no Irã / AFP

Polícia nega mortes

A polícia iraniana negou a morte de manifestantes durante os violentos confrontos deste domingo entre opositores ao presidente Mahmud Ahmadinejad e as forças de segurança, informa a agência oficial do governo.

"Até o momento, não recebemos nenhuma informação ssobre pessoas mortas pela polícia", afirmou à agência uma fonte policial não identificada. "Mas alguns policiais foram feridos nos confrontos de hoje (domingo)", acrescentou a fonte.

Escalada de violência

O confronto durante um importante ritual xiita de dois dias destaca a escalada da tensão na república islâmica, seis meses após uma disputada eleição mergulhar o grande produtor de petróleo no caos.

Apesar das dezenas de prisões e batidas policiais, as manifestações oposicionistas se repetem desde o pleito presidencial de junho, que a oposição afirma ter sido fraudado para garantir a reeleição do presidente linha-dura Mahmoud Ahmadinejad.

A polícia havia alertado a oposição pró-reforma a não realizar novos protestos durante o Tasoua e o Ashura, entre 26 e 27 de dezembro, quando muçulmanos xiitas marcam o sétimo século do martírio de um neto do profeta Maomé.

Leia também:

Leia mais sobre Irã

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.