Encontro sinaliza aproximação de Taiwan com a China

PEQUIM (Reuters) - Uma importante liderança do Partido Nacionalista taiwanês encontrou-se com o presidente chinês, Hu Jintao, na terça-feira, no mais recente passo para aproximar a ilha autônoma de Pequim, que reivindica soberania sobre ela. Lien Chan, ex-vice-presidente de Taiwan e chefe honorário do Partido Nacionalista (KMT), simpático à China, encontrou-se com Hu pela quarta vez desde 2005, segundo a imprensa taiwanesa.

Reuters |

A agência de notícias chinesa Xinhua anunciou o encontro sem dar detalhes sobre o que foi dito, mas sabe-se que a China se recusa a fazer um acordo com o presidente Chen Shui-Bian, que apóia a independência em relação à China, mas já está no fim do mandato.

A China reclama a soberania sobre a ilha desde o fim da Guerra Civil Chinesa, em 1949, e prometeu retomar o controle sobre ela -- se necessário, com o uso da força.

O presidente eleito de Taiwan, Ma Ying-jeou, do KMT, assume o gabinete em 20 de maio e apóia relações mais próximas com a China, incluindo a normalização do comércio, mais voôs diretos entre um e outro e maior intercâmbio de turistas.

Neste mês, Hu e o vice-presidente eleito de Taiwan, Vincent Siew, apertaram as mãos e conversaram a sós por cerca de 20 minutos. Analistas viram o encontro como uma ruptura que pode descongelar as relações.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) rejeita a filiação de Taiwan, vista como golpe final de Chen contra a China, disseram autoridades de Taipei na terça-feira.

Taiwan, reconhecida por poucos países no mundo, tenta há 11 anos se juntar aos 193 membros da organização baseada em Genebra, que atualiza os filiados em questões de saúde e ajuda a conter surtos de doenças.

(Reportagem de Nick Macfie)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG