Encontro de Bush com ativistas chineses gera críticas de Pequim

Pequim, 31 jul (EFE).- A reunião, esta semana, do presidente americano, George W.

EFE |

Bush, com vários ativistas chineses pró-direitos humanos gerou fortes críticas de Pequim, informou hoje a imprensa estatal.

"Sob a bandeira dos direitos humanos e da religião, essas pessoas danificaram a segurança nacional e a estabilidade social", assegurou o porta-voz de turno do Ministério de Assuntos Exteriores chinês, Liu Jianchao, citado pela agência "Xinhua".

Na terça-feira passada, Bush se reuniu na Casa Branca com reconhecidos ativistas chineses no exílio, como a independentista uigur Rabiya Kadeer, o escritor Wei Jingsheng (preso nos anos 80 e 90 por sua oposição a Deng Xiaoping) e o ativista Harry Wu, entre outros.

Liu assegurou que com este encontro, que acontece faltando poucos dias para a viagem de Bush a Pequim para a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, "os EUA interferiram com rispidez nos assuntos internos da China e sua situação religiosa".

"Expressamos nosso forte desagrado e nossa firme oposição a isto", concluiu o porta-voz, que pediu que a Casa Branca deixe de "tomar decisões que possam prejudicar as relações entre China e Estados Unidos". EFE abc/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG