Encontro anual da Wikipedia debate credibilidade da enciclopédia virtual

Enrique Rubio Alexandria (Egito), 20 jul (EFE).- Os cérebros por trás da Wikipedia, reunidos no encontro anual da enciclopédia virtual, que em 2008 acontece na egípcia Biblioteca de Alexandria, refletem sobre uma inquietante pergunta: como garantir a qualidade e a veracidade das informações de suas páginas? É irônico que, na festa anual de uma enciclopédia com mais de oito milhões de verbetes em mais de 250 idiomas, as dúvidas sejam mais numerosas que as respostas.

EFE |

Mas fazer perguntas é o objetivo de centenas de participantes de todo o mundo que se reúnem neste fim de semana em um lugar carregado de simbolismo, a mítica Biblioteca de Alexandria, que na Antiguidade chegou a ser o centro do conhecimento universal.

Sob o nome de "Wikimania", a Fundação Wikimedia celebra sua quarta conferência anual, que a cada ano acontece em um continente diferente e em 2009 será em Buenos Aires.

Se a Wikipedia pretende ser um compêndio universal de sabedoria, sua festa anual é um coquetel pitoresco, freqüentado por egípcias cobertas de véus, "geeks" com laptops, japoneses distraídos e escoceses com saias quadriculadas.

No encontro, a pessoa mais procurada é um homem ruivo, com barba, aparentemente tímido, que em 2001 realizou o sonho de, gratuitamente, aproximar o conhecimento de todos os cidadãos do mundo.

Jimmy Gales, criador da Wikipedia, disse à Agência Efe que, no futuro, o grande objetivo de sua fundação é atingir os países em desenvolvimento.

"Miramos os idiomas da Índia e da África, onde ainda há muito pouca participação. A longo prazo, acho que este é o grande desafio nesse processo de aproximar o conhecimento das pessoas", declara Gales.

No entanto, este enfoque varia de forma radical quando Gales se refere aos idiomas dos países ocidentais, onde agora a Wikipedia busca "mais o aprofundamento do que a extensão".

"Talvez tenhamos artigos sobre todos os prêmios Nobel, mas alguns deles são realmente curtos e deveriam ser ampliados. Quando um idioma já está maduro, em vez de acrescentar um novo verbete, repassamos nossos passos e vemos como podem ser melhorados os que já existem", afirma.

Gales atribui a relativa escassez de artigos em espanhol na Wikipedia a um "avanço tardio e cheio de buracos", mas diz que, desde então, o crescimento foi muito rápido, e que, nos próximos meses, ele mesmo viajará a Buenos Aires, Santiago do Chile e Madri para encorajar futuros colaboradores.

Apesar dos ambiciosos planos de Gales, ex-operador da bolsa do Alabama (EUA), permanece no ar a pergunta que todo mundo já se fez alguma vez ao consultar a página.

Gediz Aksit, um jovem turco conhecido como "Gato Branco" nas colaborações que faz para a Wikipedia, admite que "há problemas de difícil solução".

"O vandalismo, a informação falsa, são assuntos dos quais é muito difícil se livrar. Mas também nos fazemos outras questões de cunho cultural, como que tipo de verbetes queremos. Para quais entradas daremos prioridade?", diz Aksit, que fala abraçado ao seu laptop.

Pelos comentários dos participantes, parece que ninguém encontrou ainda a varinha mágica para se livrar dos estigmas.

Até o momento, os esforços são para dar maior importância aos editores e exercer um controle mais firme sobre os colaboradores, explica Gales.

Pode ser que restringir a participação seja menos "democrático", mas aumentar a vigilância é a única forma, por enquanto, que a Wikimedia encontrou para tentar resolver seu possível déficit de credibilidade.

"Queremos dar um maior controle à comunidade (de usuários) para que seja possível evitar os 'vândalos'", diz Gales.

No entanto, é de conhecimento geral que, enquanto existir a Wikipedia, haverá pressões e tentativas de manipular a informação.

Não à toa, entre os "vândalos" mais ilustres que alteraram dados estejam vários senadores americanos, a CIA e o Vaticano. EFE er/bm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG