Encontrados corpos da tripulação de avião venezuelano que caiu no Equador

Quito, 31 ago (EFE) - Patrulhas de resgate encontraram hoje a fuselagem e os corpos de três tripulantes do avião de carga venezuelano, que caiu sábado à noite em um local remoto andino do centro do Equador, minutos antes de aterrissar no aeroporto da cidade de Latacunga. Cristina Medina, da Cruz Vermelha Equatoriana (CRE), disse à Agência Efe que os destroços do avião, em cujo interior foram encontrados os corpos dos três tripulantes, foram achados em um lugar conhecido como Cerro Azul, junto à montanha Illiniza, no centro dos Andes equatorianos. Ela acrescentou que a descoberta aconteceu às 14h (16h em Brasília), após 16 horas de intensa busca pelas patrulhas formadas por escaladores de montanha dessa instituição, do Exército e da Polícia. Já uma fonte do Comando Conjunto das Forças Armadas indicou que, no momento, estão tentando identificar os corpos dos falecidos. As patrulhas chegaram ao local, Cerro Azul, e encontraram a fuselagem e os corpos. Estão tentando identificá-los e evacuá-los desse lugar, acrescentou a fonte militar.

EFE |

A tripulação do avião Boeing 737-300 da companhia de carga venezuelana Conviasa, que foi declarado desaparecido na noite de ontem e achado hoje, era integrada pelo capitão Pedro Menderi, o co-piloto Gerardo Rangel e um mecânico, cujo nome se desconhece.

O lugar do acidente é uma zona de difícil acesso, agravada pelas más condições climáticas de hoje, disse Medina.

Ela afirmou que Cerro Azul é uma elevação que se encontra na face sul dos Illinizas, uma formação montanhosa que tem dois picos.

Mais de 200 pessoas, entre a equipe da CRE, do Exército, da Cruz Vermelha e dos Bombeiros rastrearam vários setores próximos ao vulcão Cotopaxi, onde a princípio se achava que poderia ter caído o avião venezuelano.

Os montes Illinizas e seu vizinho, Cerro Azul, se encontram perto e em frente ao vulcão Cotopaxi, que domina a entrada aérea para o aeroporto de Latacunga, cidade situada a cerca de 90 quilômetros ao sul de Quito.

Já a Direção de Aviação Civil (DAC), formou uma Junta de Investigação de Acidentes (JIA), encarregada de encontrar as causas do acidente. EFE fa/bm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG