Enchentes no sudeste da Austrália continuam ameaçando população

Desde o mês de novembro, as inundações já causaram 35 mortos

EFE |

As inundações no sudeste da Austrália ameaçam centenas de lares no estado de Victoria onde a água deve alcançar o nível máximo no próximo fim de semana, informaram nesta terça-feira fontes oficiais. As enchentes afetaram mais de 1,7 mil casas em 70 localidades, transformada em mar pelas copiosas precipitações das últimas semanas.

AP
Desde o mês de novembro, as inundações já causaram 35 mortos
Os esforços das equipes de emergência estão centrados em Swan Hill, em Victoria, que fica no meio do caminho da área alagada de cerca de 900 quilômetros quadrados, que pouco a pouco vai chegando ao rio Murray. Um destacamento de 60 soldados chegou nesta segunda-feira à localidade de 10 mil habitantes, onde os moradores ergueram diques com sacos de areia para proteger os prédios da água. Os diques se romperam na extremidade do povoado na segunda-feira à noite e alagaram várias casas, mas se mantêm estáveis no resto da via fluvial.

"Esperamos que o dique principal ao redor de Swan Hill aguente e proteja a maior parte do povoado", disse à imprensa o diretor de operações do serviço estatal de emergências, Tim Wiebusch. "O que nos preocupa realmente são as comunidades e as casas que estão além do dique", acrescentou Wiebusch.

Os Serviços de Emergência trabalham sem descanso há dias para proteger as margens do Lago Boga, que está sob ameaça de transbordamento. O temporal provocou aumento dos rios Avoca, Campaspe e Loddon que pertencem à bacia do Murray, rio que separa Nova Gales do Sul do estado de Victoria, onde se une com o rio Darling antes de desembocar no mar da Austrália do Sul.

nos estados de Victoria e Queensland. Em Queensland a Polícia encontrou na segunda os restos das duas últimas vítimas, localizadas ao oeste da capital estatal, Brisbane.

O dano causado pelas inundações especialmente em Queensland, no nordeste da Austrália, e no setor agrícola, elevará os preços e terá impacto na inflação nos próximos meses, adiantou o Tesoureiro, Wayne Swan.

A primeira-ministra, Julia Gillard, estuda a criação de um imposto especial para aliviar o orçamento federal, enquanto o Governo deve anunciar na sexta-feira o primeiro cálculo dos custos dos danos, que poderá cortar em um ponto o crescimento da economia australiana deste ano previsto para entre 3% e 4%.

    Leia tudo sobre: Austráliaenchenteschuvaalagamentomortes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG