Enchentes deixam milhares de famílias desalojadas na Mauritânia

Rabat, 29 ago (EFE).- As fortes enchentes que afetaram a Mauritânia nas últimas 24 horas tiraram milhares de famílias de suas casas e causaram a morte de pelo menos uma pessoa, segundo informaram hoje as autoridades mauritanas.

EFE |

O primeiro-ministro mauritano, Moulay Ould Mohamed Lagdaf, supervisionou hoje pessoalmente as operações de socorro às vítimas das chuvas, principalmente nos bairros mais afetados da capital mauritana, Nuakchott, como Satara, Delmedk e Echagara.

Em uma cidade próxima a Nuakchott, 1.400 pessoas tiveram que abandonar suas casas e o primeiro-ministro anunciou a aplicação de medidas urgentes como a distribuição de tendas e de alimentos de primeira necessidade, além de operações de retirada da água.

Além disso, Lagdaf anunciou o início de um ambicioso programa de erradicação das "bidonvilles" (favelas, em francês).

O comitê ministerial de crise, presidido pelo ministro do Interior, Mohammed Ould Boilil, visitou a cidade de Rosso, a 200 quilômetros ao sul de Nuakchott, para examinar os danos provocados pelas enchentes, que hoje alcançaram os 104 milímetros de altura.

EFE moo-er/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG