Encapuzados queimam veículos antes de passeata universitária contra Chávez

Caracas, 20 mai (EFE).- Um grupo de pessoas encapuzadas queimou hoje dois caminhões nas imediações da Universidade Central da Venezuela (UCV) antes do início de uma passeata de estudantes e professores opositores ao Governo do presidente venezuelano, Hugo Chávez.

EFE |

Universitários favoráveis a Chávez atribuíram o fato a estudantes opositores e estes, aos primeiros. O mesmo ocorreu após a queima de outros veículos ontem à noite no interior da UCV, instituição que abriga cerca de 60 mil alunos.

A reitora da universidade, Cecilia García, disse aos jornalistas que pelo menos 20 pessoas encapuzadas identificadas com o Governo passaram dando tiros e jogando bombas de gás lacrimogêneo em frente a seu escritório ontem à noite.

O dirigente estudantil governista Jean Carlos Barrios atribuiu os fatos a "infiltrados" que chegaram a Caracas vindos do interior do país para participar da passeata de hoje rumo ao Ministério da Educação Superior.

O titular desse Ministério, Luis Acuña, sustentou em um programa da emissora estatal de televisão "VTV" que, apesar de "todo mundo ter direito a protestar, não é preciso queimar nada para entregar um documento" em seu escritório, onde disse que receberá pessoalmente os universitários opositores.

Acuña reiterou que estes tomaram como "desculpa" um corte no orçamento universitário para convocar os "protestos políticos" contra o Governo e que se valem de "manipulações".

"Alguns reitores quiseram vender a ideia de que o corte de 6% (do orçamento de cada universidade) é contra os estudantes" para gerar "adversidades contra o Governo, quando as instruções" são para não afetar bolsas de estudos, refeitórios e transporte para alunos, explicou. EFE ar/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG