Encapuzados não deixam candidato à presidência da Colômbia discursar

Bogotá, 14 abr (EFE).- Dezenas de jovens com capuzes destroçaram janelas, portas e alguns móveis e impediram o candidato à presidência da Colômbia Juan Manuel Santos de discursar hoje na Universidade Santiago de Cali, no sul do país.

EFE |

Santos, candidato do governista Partido Social de União Nacional (Partido do U), e favorito nas eleições do dia 30 de maio, pretendia apresentar sua política de segurança.

A Polícia teve que recorrer ao gás lacrimogêneo para controlar a situação, pois os encapuzados queimaram pneus e lançaram pedras contra a universidade.

O ex-ministro da Defesa disse que "havia entre 500 e 600 estudantes prontos para debater", mas acrescentou que "chegou um grupo de outras universidades, e outros jovens, aparentemente não universitários, alguns armados pelo que me dizem, e arrombaram as portas, janelas, lançando objetos e químicos".

Os estudantes e os encapuzados gritavam "assassino, assassino" para o político e o repreenderam pelos "falsos positivos", execuções extrajudiciais pelas quais o candidato é acusado.

Santos considerou a ação sabotagem e afirmou: "Tristemente, eu queria ir a um centro de educação para lançar, paradoxalmente, nossa proposta de segurança cidadã".

O candidato teve que ser escoltado para fora lugar. Ele afirmou depois que optou por se retirar "porque era o mais prudente, o mais responsável", mas se comprometeu "a retornar e debater as ideias".

Os distúrbios "nos demonstram a necessidade de continuar com a política de segurança democrática", afirmou sobre o eixo da luta contra a violência e o narcotráfico do presidente Álvaro Uribe, a quem Santos deseja suceder a partir do dia 7 de agosto.

O candidato de insistiu que o ocorrido foi "uma agressão, uma hostilidade", mas reconheceu que "houve grande solidariedade por parte dos estudantes que queriam debater". EFE rrm/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG