Empréstimos bancários internacionais têm pior queda desde 2001

Os empréstimos internacionais feitos por bancos diminuíram em US$ 1,1 trilhão, ou 3%, no segundo trimestre deste ano, segundo informações do Banco de Compensações Internacionais (BIS, na sigla em inglês). Esta é a queda mais acentuada desde o segundo trimeste de 2001, quando os empréstimos caíram em 1% depois da explosão da bolha das empresas de Internet, informam os dados provisórios do BIS.

BBC Brasil |

Os empréstimos para os Estados Unidos e a Grã-Bretanha caíram notadamente durante os três meses.

Os dados cobrem todos os empréstimos, inclusive dinheiro emprestado entre os bancos e para indivíduos.

Os bancos estão cada vez mais relutantes em oferecer empréstimos uns aos outros, depois dos crescentes anúncios de bancos que são credores de papéis podres - com poucas chances de receber o pagamento.

O nervosismo das empresas em emprestar dinheiro umas às outras foi replicado nos mercados de crédito, tornando mais difícil tanto para empresas como para indivíduos ter acesso a empréstimos.

O BIS afirma que, no primeiro trimestre, os empréstimos entre escritórios bancários em países diferentes "sustentaram" as atividades bancárias internacionais.

Enquanto os bancos diminuíram os empréstimos no segundo trimestre, os correntistas aumentaram as retiradas.

Os dados consolidados para o período deverão ser publicados no dia 8 de dezembro.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG