Empresas oferecem economia de US$ 2 tri para plano de Obama para saúde

WASHINGTON - O setor privado de saúde dos Estados Unidos ofereceu ao governo do presidente Barack Obama um plano para economizar US$ 2 trilhões nos próximos dez anos para ajudar a realizar o projeto de Obama de oferecer seguro-saúde para toda a população.

Redação com AP |

Hospitais, seguradoras, farmacêuticas e médicos devem propor a Obama nesta segunda-feira reduzir voluntariamente os reajustes em seus preços nos próximos anos, o que, segundo economistas do governo dos EUA, ajudaria a criar condições para oferecer seguro-saúde a cerca de 50 milhões de americanos que não têm a cobertura hoje. Os Estados Unidos não têm um sistema de saúde estatal universal que atenda toda a população.

Seis grupos principais do setor privado de saúde devem entregar uma carta a Obama e se comprometer a cortar o aumento de gastos com saúde a cada ano em 1,5 ponto percentual. Pessoas próximas às negociações falaram à AP sem se identificar pois o plano será anunciado oficialmente em um evento da Casa Branca nesta segunda-feira.

Obama já ofereceu uma proposta geral para reformar o sistema de saúde e quer que o Congresso discuta os detalhes e aprove uma lei ainda neste ano. O plano do presidente ampliaria o sistema que existe hoje, em que os empregadores, o governo e os indivíduos dividem o custo do seguro-saúde e em que os cuidados ficam a cargo de empresas privadas. Pelo projeto, o governo teria um papel mais forte do que exerce hoje ao subsidiar a cobertura para mais pessoas e proteger os consumidores de forma melhor.

"Nós não podemos continuar nessa mesma estrada perigosa pela qual estivemos viajando por tantos anos, com custos fora de controle, porque a reforma não é um luxo que pode ser adiado, mas uma necessidade que não pode esperar", disse Obama em um discurso divulgado pela Casa Branca neste domingo. "É por isso que esses grupos estão voluntariamente se juntando para selar um compromisso sem precedentes."

O custo da cobertura universal é um dos maiores obstáculos ao plano de Obama. Os custos estimados para o governo federal vã de US$ 1,2 trilhão a US$ 1,5 trilhão em dez anos e até agora Obama só detalhou como cobrir cerca de metade deste custo. Membros do governo não quiseram dizer neste domingo quanto o plano todo deve custar, mas disseram ter confiança de que será possível pagar o preço.

    Leia tudo sobre: euaobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG