Empresas mexicanas desenvolvem camisa para monitorar ritmo cardíaco

Guadalajara (México), 9 abr (EFE).- Empresas mexicanas desenvolvem uma camisa para monitorar o ritmo dos batimentos cardíacos por meio de dispositivos que enviam a informação a um centro médico para facilitar a ajuda imediata ao usuário caso detecte anomalias.

EFE |

A camisa realizará um eletrocardiograma em poucos segundos e o enviará via bluetooth a um centro de operações onde será analisado pelos médicos, explicou hoje à Agência Efe Carlos Manuel Figarola, coordenador de novos projetos da empresa de produtos médicos Medisist, uma das que participam do projeto.

Figarola acrescentou que, com esses dados, os cardiologistas poderão entrar em contato com o paciente e advertir a ele se é necessário que vá a um hospital.

"Isso será muito útil para as pessoas que sofrem de doenças como hipertensão ou problemas do coração, porque dará a elas a segurança de que estarão sendo monitoradas por seu médico em qualquer momento do dia e em qualquer lugar que estejam", afirmou.

A camisa, que pode estar à venda no último trimestre do ano, se ajustará ao corpo e funcionará mediante eletrodos de tela que monitoram permanentemente o ritmo cardíaco e armazenam dados em um dispositivo de apenas oito centímetros.

O bluetooth do celular do paciente receberá este sinal e enviará a informação como mensagem de texto ao centro de operações.

Auxiliados por um software desenvolvido pela Medisist, os médicos monitorarão os dados do paciente 24 horas por dia, durante todos os dias do ano, explicou Figarola.

"Se o sistema detectar algo anormal, imediatamente enviará um sinal de alerta, que avisará o médico e ele entrará em contato com o usuário para fazer perguntas que o ajudem a determinar a gravidade do problema", mencionou.

Além do monitoramento cardíaco, as empresas oferecerão dispositivos móveis que registram os níveis de glicose e a pressão arterial, ajudando a criar um histórico médico completo.

A empresa têxtil Atletica trabalha no desenvolvimento de cabos de fibra para fazer mais cômodos os dispositivos e no desenho definitivo que terá a camisa.

Em uma segunda etapa, as empresas adaptarão a camisa para monitorar os sinais vitais dos atletas e ajudá-los em seu rendimento esportivo. EFE mg/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG