La Paz, 25 mai (EFE).- Duas companhias americanas, uma delas ligada a empresários da Venezuela, uma chinesa e uma boliviana formalizaram hoje diante da Corte Eleitoral da Bolívia seu interesse em fazer o censo digital para as eleições presidenciais marcadas para 6 de dezembro deste ano.

A Corte Nacional Eleitoral (CNE) boliviana informou hoje que as quatro empresas apresentaram uma documentação que será analisada por uma comissão de qualificação, a qual avaliará a capacidade técnica de cada uma e emitirá um relatório final antes do próximo dia 5.

O órgão eleitoral tinha enviado convites a 34 empresas as quais considerou como candidatas a obter o contrato para a construção do censo biométrico exigido pela nova lei eleitoral.

As americanas são a Cogent Systems, que trabalhou na Venezuela em um projeto similar, e a Smartmatic Corporation, com sede na Flórida e vinculada a sócios venezuelanos.

As outras companhias interessadas são a chinesa Vicstar Machinery e a boliviana Insertec.

O novo censo boliviano para o pleito de dezembro incluirá pela primeira vez dados digitais, como a assinatura e a fotografia de 3,5 milhões de eleitores, com o objetivo de evitar riscos de fraude.

O presidente boliviano, Evo Morales, buscará a reeleição. Até agora, seus concorrentes são os líderes indígenas René Joaquino, Alejo Véliz e Víctor Hugo Cárdenas, além do ex-ministro do Trabalho Hugo San Martín, que fez parte do primeiro Governo do ex-chefe de Estado Gonzalo Sánchez de Lozada (1993-1997). EFE ja/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.